Pular para o conteúdo principal

Greve ou privatização

Hoje publicamos artigo do professor André Rodrigues sobre a greve dos profissionais em Educação no estado do Rio contra mais um ataque aos direitos e conquistas da classe trabalhadora. Enquanto aparelha a polícia repressiva e covarde e distribui benesses aos financiadores de sua campanha, Pezão se presta ao papel de colaborar com o pretendido desmonte da Educação pública e consequente favorecimento de grandes grupos.
André Rodrigues é Secretário Político do PCB em Petrópolis.


SOBRE A GREVE DA EDUCAÇÃO


No último dia 2 de março teve início a greve dos profissionais da Educação estadual. Era um desenlace anunciado contra os ataques deste governo que diariamente dá demonstrações a que veio e a quem segue. Prova disso é que enquanto os educadores e o conjunto do funcionalismo são penalizados sem reajustes, sofrendo ataques contra direitos adquiridos e sujeitos às piores condições de trabalho, os benefícios para as empreiteiras e concessionárias de serviços públicos continuam mantidos.


Outros exemplos estão aí pra todos constatarem o caráter falacioso do governo Pezão. Assim, na LDO 2016 foram destinados cerca de R$ 850 milhões na forma de renúncia fiscal beneficiando a AMBEV, um dos maiores fabricantes de bebidas do mundo e que praticamente monopoliza o mercado nacional. Pois bem, por essa benesse o estado deixará de receber em 2016 algo em torno de R$ 6.700 bilhões de grandes empresas, porque na mamata estão agraciadas também montadoras de automóveis e outras distribuidoras de bebidas sediadas no RJ, que nem por isso deixaram de demitir, sonegar direitos e agravar as condições de trabalho de seus empregados. Desnecessário lembrar que em sua maioria estas empresas foram doadoras de recursos para a campanha de Pezão ao governo do estado.


Poderíamos falar ainda sobre o escândalo envolvendo a Supervia e os subsídios injustificáveis que recebe, sobre o aluguel de geradores da Light para as Olimpíadas que implica no perdão de uma dívida de R$ 170 milhões e outros descalabros. Enquanto isso o governo alega não ter recursos para impedir o sucateamento da Educação no estado que, como bem disse Darcy Ribeiro a respeito da crise da Educação que esta “trata-se de um projeto”. Sim, para sucatear e depois privatizar como fizeram (e continuam fazendo) com empresas e instituições que já foram motivo de orgulho para o Brasil.


Estas são a razão de fundo, porque o que deflagrou a greve foram o reajuste zero em meio a uma inflação de dois dígitos, parcelamento de salários e uma cretina proposta de contrair empréstimos para cobrir a diferença. Pezão mostra mais uma vez a que veio no colo do Bradesco, não por acaso um dos seus financiadores de campanha.


Mas a gota d’água mesmo veio com a proposta de aumentar para 14% a alíquota para a aposentadoria, revê-las todas e ainda modificar a idade mínima. Isso foi o estopim, mas o que está levando os profissionais de Educação às ruas é uma indecente proposta de nova lei de responsabilidade fiscal para impedir futuros reajustes do funcionalismo. Isto tem unificado os servidores estaduais que passam a contar ainda com o apoio dos estudantes. Pezão não sabe no vespeiro que mexeu...


André Rodrigues
Professor da rede estadual de Educação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A grande farsa de um estado policial contra uma população indefesa

Segue aqui importante artigo publicado no The Intercept sobre a farsa montada para criar manchete na imprensa corporativa, em mais um desmando do estado policial contra a população das periferias da cidade do Rio de Janeiro. Os cento e trinta e nove A polícia chegou na festa na madrugada de 7 de abril. Santa Cruz, Zona Oeste do Rio, de onde as milícias partiram, em meados dos anos 1990, pra dominar a cidade. Abuso policial instaura o medo nas periferias do Rio. Mataram quatro pessoas ainda do lado de fora. Ao entrar, mandaram todas as mulheres embora, ordenaram que os homens deitassem no chão, de bruços e sem camisa. Poucas horas depois, imagens de ônibus cheios de jovens tranquilos e sem algemas já estavam nos jornais matinais de TV. Sem qualquer questionamento. À noite, foi destaque no Jornal Nacional: “Bandidos que fazem parte da principal milícia do Rio aproveitavam a noite em um sítio, em Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade.” 159 presos. 148 réus primários.

Arte de Brincantes

Pra cantar e dançar

Vacinando o mundo

COMO BOLSONARO ESTÁ ARRUINANDO OS PLANOS DE STEVE BANNON por Liana Cirne Lins (18/09/2019) Por caminhos tortuosos, Bolsonaro se transformou em garoto propaganda às avessas. Sim, Bolsonaro vai salvar o mundo. Mas naturalmente não pelo que ele tem de bom, se é que tem, mas pelo que tem de péssimo, bufão e ignominioso.  Bolsonaro é a caricatura, exagerada, patética e monstruosa, dos políticos caricatos da extrema-direita do mundo todo. Mas antes de tudo, Bolsonaro é um produto de Steve Bannon. Ele não é um fato isolado na geopolítica, mas uma peça num mosaico que vinha sendo cuidadosamente construído, através da metodologia que levou décadas para ser desenvolvida, tendo como laboratório eleições em países pobres, e que culminou com a aprovação do Brexit com a campanha "Leave.EU", a eleição de Trump, a campanha "Do So!" em Trinidad & Tobago e, enfim, a eleição de Bolsonaro.  Em síntese apertada, a metodologia consiste no armazenamento de dados pess